E por falar nisso,


como vamos nos posicionar?

Nossa colega Máfa repassou para uma lista de discussão mensagem que circula na internet sobre o Referendo do Desarmamento. O ponto central  do texto é levantar que O PROBLEMA NÃO É VOCÊ NÃO TER ARMAS, MAS OS CRIMINOSOS SABEREM QUE NINGUÉM TEM!!!  
Seguindo esta linha de raciocínio, o autor do texto (não identificado na mensagem) mexe com nossos afetos e pede que pensemos em nossos filhos sendo atacados por um maníaco e pedindo por um socorro que nunca virá, por falta de armas. Assim, conclui que  em 23 de outubro estaremos, na verdade, decidindo se o cidadão brasileiro terá ou não o direito à legítima defesa.
A questão é polêmica e gera artigos que procuram mostrar que esta ação não resolve o problema da violência, artigos que trazem dados estatísticos, redes pelo desarmamentoperspectivas religiosas, várias  e outras questões. 
Há muito para ler, pensar e pesar (nos dois sentidos), antes de decidir conscientemente, mas de uma coisa tenho certeza: é lamentável depositar a esperança de ter uma vida mais segura, nestes artefatos.

[ Google it ]

Escrito por Iris às 11h56
[ ] [ Envie esta mensagem ]


podemos estudar física na cozinha?

O que acontece quando dobramos um espaguete seco? Em quantos pedaços ele quebra? Será possível quebrá-lo em apenas dois pedaços?

Segundo o site News in Science, um enigma que intrigava os cientistas foi desvendado  ao responderem  à questão: Por que o espaguete cru quebra sempre em  mais de dois pedaços?
Dizem que até mesmo o físico Richard Feynman, ganhador de um prêmio Nobel, dispendeu muitas horas  infrutíferas em sua cozinha tentando encontrar a solução.
O problema e como surgiu, vídeos com demonstrações de experimentos e artigos sobre o fenômeno, em inglês.
Os pesquisadores franceses Basile Audoly  e Sébastien Neukirch dizem que o achado pode ser aplicado ao uso de hastes de fibra de vidro e metal na engenharia civil para fazer estruturas como edifícios e pontes, mais estáveis.
Ficar intrigado com o dia-a-dia é ou não é fundamental?

[ Google it ]

Escrito por Iris às 12h29
[ ] [ Envie esta mensagem ]


tive uma idéia estranha

Hoje conversei com a Marli, pelo MSN. Ela estava interessada em RSS e no Bloglines. Abrimos um espaço lá e fizemos algumas experiências juntas. Assim que paramos de conversar lembrei que ela trabalha com ficção e realidade, que começou um trabalho novo, usando a fábula dos Três Porquinhos, e isso levou a  um link estranho: lembrei do furacão Katrina e New Orleans.


Escrito por Iris às 19h36
[ ] [ Envie esta mensagem ]


qualquer coisa serve para matar a saudade!!

Descobri um jeito de matar a saudade da minha filha que está na Itália desde abril. Em junho ela foi à Liverpool e foi inevitável a ligação Beatles, Abbey Road, webcam. Logo depois  surgiu uma idéia: usar uma webcam,  destas usadas para monitorar as ruas, para matar a saudade. Lá me fui para o Google e descobri uma na Mathew Street de Liverpool. Combinamos dia e hora e minha filha teve a paciência de pagar o mico,  para atender minha vontade de vê-la.

Foi o máximo!!!!!



Escrito por Iris às 19h51
[ ] [ Envie esta mensagem ]


como podemos avaliar blogs produzidos em ou para aulas?

Traduzi e publiquei também em outro lugar uma discussão, que se propaga por vários espaços, sobre avaliação de blogs, produzidos em sala de aula.
A questão principal é:

Como não poderia deixar de ser, opiniões pró e opiniões contra. Algumas das considerações propõem que:

  1. Para podermos considerar um blog, para nota, os alunos deveriam deixar claro o que pretendem com ele, qual sua meta final ou principal. O papel do professor seria acompanhar o andamento do projeto do aluno e lembrar (quando há dispersão) as metas que ele mesmo propôs. Caso o aluno não retome o trabalho, com a consistência ou direção planejada, o blog não seria considerado para nota e a avaliação voltaria integralmente para as mãos do professor que usaria outros trabalhos que o aluno produziu, para qualificá-lo.
  2. O blog deve ser visto como um portfólio porque evidencia a escrita do aluno no decorrer de um longo período de tempo. Podemos qualificar o aluno pela conversação que é capaz de sustentar entre seu próprio trabalho e o trabalho de seus colegas. Já existem algumas evidências de que os alunos que comentam o trabalho de seus colegas (usando os comentários ou seu próprio blog) melhoram como escritores e conseguem incorporar novas idéias aos seus escritos de modo a coordenar seus próprios pensamentos às idéias mencionadas por outros. Além disso, tornam-se cientes e sensíveis ao conteúdo de toda a blogosphera desenvolvida na sua sala de aula.
  3. Qualificar o blog dos alunos deveria ser um processo holístico que foca não só a qualidade do trabalho individual, mas também em que extensão o trabalho individual reflete o contexto em que se desenvolve. O blogs dos alunos deveriam ser reconhecidos como parte de uma comunidade maior de "investigadores". Alunos blogueiros bem sucedidos são aqueles que estão cientes de que seus amigos também escrevem e que participam das conversações com outros blogueiros de sua classe. Esta é uma parte importante na construção do conhecimento e do senso de comunidade, especialmente quando os estudantes investigam e escrevem sobre idéias relacionadas. Quando, por exemplo, uma sala de aula inteira está voltada a investigar os direitos humanos, as interações que ocorrem entre os blogueiros podem ter um forte impacto tanto nos escritos individuais quanto na noção de construção coletiva de conhecimento. Assinalar as contribuições ou comentários, evidencia que são uma parte integral da blogosphera e não apenas escritores isolados.
  4. O professor deve deixar claro o que espera. Não traduzi por falta de tempo, mas é uma proposta muito estruturada e, em parte, inspirada pelo fato dos alunos terem uma preocupação maior com o como serão avaliados do que com o que vão aprender.
  5. Os blogs devem ser avaliados pelos próprios alunos. Isso é o que leva os alunos a blogar, a avaliação do blog feita pelo professor mantém o status quo: o aluno escreve para o professor, como sempre.

Encontrei em um dos blogs as seguintes questões, que me lembraram alguns projetos de aprendizagem:

O que você faria se o objetivo proposto por seu aluno fosse escrever em seu blog 5 post falando sobre o que comeu no almoço? Os objetivos do blogueiro/aluno devem ser aprovados pelo professor? Que diretrizes devemos usar?

Outra colocação importante: "Os alunos necessitam parar de dar "respostas" (que sugerem o fim de uma discussão) e começar a contribuir com reflexões, experiências e questões (que sugerem que a discussão continua).



Escrito por Iris às 20h43
[ ] [ Envie esta mensagem ]


a ordem dos fatores altera o produto?

Incrível!!! Recebi um mail, via lista do meu programa de pós-graduação, onde era divulgado que:

"Estudantes brasileiros que dominam a língua inglesa e têm interesse em aperfeiçoar seus conhecimentos no Japão podem concorrer, este mês, a bolsas de estudo em programas de pós-graduação, graduação, escola técnica e cursos profissionalizantes. (...) Os formulários de inscrição e outras informações estão disponíveis na página eletrônica http://www.br.bem-japan.go.jp (Ionice Lorenzoni, da assessoria de comunicação do MEC)"

Passei a informação para um formando em agronomia, sem verificar o link que levava ao formulário. Recebi retorno acusando interesse e um alerta de que a URL, enviada na mensagem,  continha erros. Fui até o site do MEC em busca da informação correta, mas nada encontrei, mesmo usando várias palavras-chave, ligadas ao texto recebido.

Para variar, recorri ao Google e fiquei pasma com a importância que se dá para a divulgação deste tipo de notícia.
Não houve um único cristão, nos sites que passaram adiante a notícia, disposto a verificar a correção da URL recebida da assessora de comunicação. Todos os sites listados pelo Google, disseminaram o erro:

Para quem interessar possa, a URL correta é:

http://www.br.emb-japan.go.jp/portugues/bolsas_programas.htm

A assessora de comunicação pode ter sido bem  intencionada, mas a embaixada do Japão não é encontrada com esta "pequena" alteração de ordem, na URL. Olhar os detalhes, verificar, é importante !  

[Google it!]



Escrito por Iris às 11h02
[ ] [ Envie esta mensagem ]


o que acham de fórum com áudio?

Nas andanças pela rede, descobri um fórum falado.  Temos 3 minutos para falar, há a possibilidade de ouvirmos e regravarmos a mensagem, quantas vezes acharmos necessário, antes de enviar.  
Preenchi um  cadastro muito simples e depois recebi por mail o link para a validação do pedido de participação.
Deixei uma mensagem para testar. O fórum oferece as mesmas possibilidades de um fórum escrito: podemos postar um novo tema, responder diretamente a uma das participações e até mesmo ouvir somente as falas de determinado participante, de modo sequencial. 
Já pensaram nas possibilidades para a aprendizagem de língua estrangeira? No tipo de censura ou liberdade que os participantes poderiam se outorgar? Nas regras que precisam ser construídas para participar de um fórum com esta possibilidade? Novas construções à vista...

[ Google it ]

Escrito por Iris às 02h49
[ ] [ Envie esta mensagem ]


andei passeando por DE

Para aproveitar o fato de contarmos com a Rosemari, que sabe alemão e é professora da oficina, resolvi passear pelos sites da Alemanha para ver o que falam sobre Brauchbarkeit, ou seja, usabilidade. Uma das dicas encontradas deixa claro que o óbvio é construído e, provavelmente, tem prazo de validade. O ícone do disquete 1.4, que "indica" que ali salvamos um arquivo, é invocado para exemplificar esta situação. A questão que colocam é: será que este ícone é tão óbvio para as novas gerações? Será que alguém que sequer tem este tipo de drive no seu micro compreende imediatamente o que a figura representa? 
Nesta busca descobri que 3 de novembro será o dia mundial da usabilidade.

Sigo buscando informações sobre usabilidade e ambientes virtuais de aprendizagem e/ou usabilidade e aprendizagem. Parece mesmo bem mais fácil encontrarmos discussões ligadas a  aprendizagem do sistema do que a aprendizagem no sistema.   

PS: Coloquei um som, para ver se dava certo. Anos 60, é claro! Descobri em um blog por onde passei e agora não lembro onde. Assim que achar, refiro aqui. 

Escrito por Iris às 21h07
[ ] [ Envie esta mensagem ]


iniciamos nova oficina

Ontem tivemos o primeiro dos quatro encontros que tratarão de usabilidade. Garimpando a rede, encontrei blogs interessantes que tratam do tema. Vale uma passada para saber o que está em discussão:

Em um dos post encontrei um artigo sobre Usabilidade e ubiqüidade, que chama nossa atenção para aspectos interessantes.

[ Google it ]

Escrito por Iris às 11h41
[ ] [ Envie esta mensagem ]


a Holanda sai na frente

Foi lançada a DAREnet - Digital Academic Repositories, um mecanismo de busca que rastreia as coleções digitais de mais de 16 universidades holandesas e instituições relacionadas.
Este repositório oferece, no momento, 47.000 documentos, na íntegra e gratuitamente. As buscas podem ser complementadas com Search in Cream of Science que dá acesso à 25.000 publicações científicas de mais de 200 cientistas na Holanda. "Apenas" 60% do material disponibilizado por este mecanismo de busca é oferecido na íntegra em função de direitos autorais.
Tomara outras universidades sigam este caminho!


Escrito por Iris às 19h46
[ ] [ Envie esta mensagem ]


passei por uma experiência interessante

Semana passada, minha colega Beatriz e eu, fomos entrevistadas via Skype. Usando este soft, entramos em audioconferência com o multiplicador Eziquiel Menta, do CRTE de Ponta Grossa/PR. A conversa foi gravada com o BlogMatrix Sparks. Isso virou um podcast que pode ser acessado clicando na imagem

[ Google it ]

Escrito por Iris às 22h54
[ ] [ Envie esta mensagem ]


vou bloggar o Sebastian

Encontrei no blog do Sebastian Fiedler um post muito interessante, que "traduzo" aqui porque tem ligação com o que estamos a ler e fazer (como dizem os portugueses):

O auto-conhecimento - um  recurso tão antigo que seu valor é facilmente esquecido - é o processo com o qual podemos organizar opções conflitantes. "Conhece-te a ti mesmo" foi gravado na entrada do oráculo de Delfos e desde então inúmeros epigramas têm exaltado suas virtudes. A razão pela qual este conselho é repetido com tanta frequência é sua eficácia. No entanto, nós precisamos redescobrir a cada geração o que estas palavras significam, o que o conselho, atualmente, implica para cada indivíduo. E para para fazer isso é útil expressá-lo nos termos do conhecimento atual e vislumbrar um método contemporâneo para sua aplicação... (Mihaly Csikszentmihalyi, 1990, Flow)
Depois desta citação, o autor do blog pergunta:
Ser o autor de um blog e de  outras formas de publicações  pessoais na web  ajuda a ganhar algum auto-conhecimento significativo? O que você pensa? O que você experimentou até este momento?


Escrito por Iris às 12h02
[ ] [ Envie esta mensagem ]


nasceu o Google print

Encontrar livros ficou mais fácil. Basta uma busca comum no Google Print. Quando usamos as palavras-chave Distance +Learning, por exemplo,  o Google busca  livros sobre estes temas. Caso  encontre, os links nos levam  aos dados dos livros: resumo e índice, aos  editores e aos locais de venda online. Nestes, há o Froogle: froo·gle (fru'gal) n. compra via Google
Um exemplo de resultado com as palavras Distance +Learning  e Educação +Distância
Pelo que vi está aberto para cadastramento só de editores da Inglaterra e Estados Unidos.
Para saber mais:


Escrito por Iris às 23h49
[ ] [ Envie esta mensagem ]


gostei do que vi

Hoje, visitando um blog enviado para a lista de discussão da comunidade Proinfo, descobri que podemos ter um mural de recados em nossos blog. Já está funcionando aí ao lado.
É necessário fazer um cadastro em CódigoFonte.net. É rápido, fácil e gratuito. 
Vale a pena passar no blog que visitei - a Prof. Marli, que o mantém, descobriu um jeito interessante de fazer seus alunos lerem e escreverem. Ela também mantém o blog "Vidas Secas - Da ficção à realidade" 
[ Google it ]

Escrito por Iris às 18h26
[ ] [ Envie esta mensagem ]


encontrei um problema

Hoje tivemos nosso primeiro encontro na oficina "Blog Pedagógico". Socializamos os endereços criados (ver aí ao lado em Colegas PGIE). Consegui adicionar os endereços dos colegas no Bloglines (agregador de conteúdo acessado pela web), mas verifiquei que alguns blog pareciam não ter RSS. Colei o endereço que deveria conter o RSS dos blogs onde este problema aparecia e recebi a seguinte mensagem:

The requested URL could not be retrieved

The following error was encountered:

  • Invalid URL

Some aspect of the requested URL is incorrect. Possible problems:

  • Missing or incorrect access protocol (should be `http://'' or similar)
  • Missing hostname
  • Illegal double-escape in the URL-Path
  • Illegal character in hostname; underscores are not allowed

O mesmo problema acontece no FeedBurner.
 
Infelizmente, por isso, não consegui "agregar" o endereço do blog da nossa oficina e dos blog de alguns colegas. Será que poderiam alterar o endereço/nome dos seus blog?
[ Google it ]

Escrito por Iris às 12h28
[ ] [ Envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico
11/09/2005 a 17/09/2005
04/09/2005 a 10/09/2005
24/07/2005 a 30/07/2005
12/06/2005 a 18/06/2005
05/06/2005 a 11/06/2005
29/05/2005 a 04/06/2005
22/05/2005 a 28/05/2005
08/05/2005 a 14/05/2005
01/05/2005 a 07/05/2005
24/04/2005 a 30/04/2005
17/04/2005 a 23/04/2005





Eu leio
 Não estime... Messa!
 Onde anda Su?
 Vidas Secas - Da ficção à realidade
 Blog da Oficina
 Robótica
 Blog da Thita
 Sílvia Alcântara
 CPMI dos Correios